quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

A caixa de aveia


A mudança é um estado inevitável. Essa percepção não é nova para mim nem me oponho a ela. Na verdade, procuro sempre a forma mais eficaz de ser um agente de mudança. Abraçar uma nova causa, inovar, evoluir constantemente.

No entanto, há sempre aqueles raros momentos que passam despercebidos, nos pegam de surpresa e confronta nossos próprios pré-conceitos. Um deles lembrou-me o quanto somos adestrados e ficamos facilmente acomodados às normas. Eu estava no Mateus no outro dia (nosso supermercado local) e estava comprando uns itens de costume que utilizo depois do treino: ovos, aveia , leite, proteínas, frutas. Enquanto andava pelo corredor, sem olhar para as prateleiras e já com o braço estendido prestes a pegar minhas duas caixas de aveia quando percebi que eles tinham "ido embora".

Olhei para cima, para baixo, para os lados e nada . Tudo o que eu vi foram itens que eu nunca tinha visto antes. Que m***! Peguei minha cesta e segui à procura da sessão de farinhas e derivados, pensando o tempo todo comigo mesmo "Que diabos!"

Olhei um pouco mais em volta e logo me virei, lá estavam elas. As caixinhas de aveia haviam mudado para um lugar diferente da ordem que eu costumava encontrá-las e não havia nem mesmo a quantidade que normalmente sempre tem.

Eu rapidamente percebi o quão chateado eu tinha ficado por essa simples mudança. Murmurei baixinho e mandei o todo mundo no Mateus para a Pqp por me fazer perder valiosos minutos do meu tempo. Por que eles não podiam simplesmente deixá-las lá onde estavam? Para quê trocá-las de lugar? E por que isso me incomodou tanto assim?

Já na fila para o caixa, me dei conta de que o simples ato de romper com esta sequência normal e rotineira de tantos meses (ou anos) me aborreceu a ponto de ficar realmente P da vida com uma rede inteira de supermercados, por mais bizarro que isso possa parecer. 

Se você ler com atenção você vai perceber essa não é uma história sobre mim ficando com raiva por que o Mateus resolveu trocar de lugar as caixinhas de aveia; é uma história sobre a vida, uma história sobre você, sobre o seu presente.

Eu deveria ter apoiado a decisão de terem mudado as coisas de lugar. A inovação trouxe mais espaço e outros itens antes não encontrados no supermercado agora ocupavam o lugar das caixas de aveia e isso aumentou a oferta de mais produtos. A mudança era necessária. Às vezes a coisa mais segura que você pode fazer é arriscar-se e a coisa mais arriscada de todas é continuar a ser sempre o mesmo.

Nós resistimos, procrastinamos, nos aborrecemos, nos protegemos a todo custo e reprovamos a mudança ao nosso redor. A mudança que pode quebrar e redirecionar os nossos hábitos, a mudança que pode mexer com o nosso namoro ou casamento, a mudança que pode nos fazer finalmente soltarmos e nos livrarmos do que nos deixa infelizes. O milagre nunca acontece na zona de conforto, e somente a mudança pode nos colocar no caminho que nós sempre quisemos caminhar.


Um comentário:

  1. É engraçado e interessante como uma situação rotineira pode nos levar a refletir de tal maneira, a encontrar respostas para as questões que a vida nos levanta.
    Acredito que quem possui esse olhar delicado, perceptivo e sensível como o teu, consegue aprender muito mais.
    Bem legal a metáfora.

    ResponderExcluir